Médica fala das consequências da perda auditiva na criança

A perda auditiva na criança pode acarretar distúrbios na aquisição da fala, linguagem e no desenvolvimento emocional, educacional e social, por isso o seu rastreio deve começar desde a maternidade para a sua prevenção e tratamento precoce, informou a médica Rosária Monimambo.

Ao apresentar o tema diagnóstico precoce da surdez na crianca, no XL Conventus Societas de Oto-rhino -laringologica Latina, a médica considerou  a audicão como importante na comunicacão humana e com a falta da mesma a pessoa regista uma grande dificuldade.

Segundo a especialista o diagnóstico precoce de deficiência auditiva permite a intervencão e o ideal é que ambos ocorram nos primeiros seis meses de vida.

A triagem auditiva neonatal universal é recomendada, pois avalia todos os recém-nascidos e não apenas aqueles com indicadores de risco para a perda auditiva.

Embora existam testes comportamentais para a avaliação auditiva, os exames ideais são os objetivos, tais como as emissões otoacústicas e os (EOA) potenciais evocados auditivos de tronco cerebral, pois são exames eletrofisiológicos , rápidos, não invasivos, não dolorosos, que não dependem da participação da criança, sendo úteis em recém-nascidos e crianças pequenas.

A audição é considerada a pedra angular sobre a qual se constrói o intrincado sistema da comunicação humana. Neste sentido, a privação sensorial auditiva na criança compromete não só a sua comunicação, mas seu potencial de linguagem receptiva e expressiva, sua alfabetização (leitura e escrita), seu desempenho acadêmico e desenvolvimento.

Fonte: Angop

Fale Conosco

Mande suas dúvidas e sugestões para nós!

Enviar