Game para inclusão

Game para inclusão

Mariana Souza tem 8 anos e é cega. Como várias crianças de sua idade, um de seus passatempos favoritos é brincar com jogos no computador. Na maioria das vezes, ela joga sozinha. Isso porque, boa parte dos jogos destinados a pessoas com deficiência visual é feita para ser utilizada apenas por esse público, não promovendo integração entre quem tem alguma deficiência e quem não tem.

Para mudar essa realidade, o estudante de Sistemas de Informação da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), Bruno Cosmo, criou o jogo Pesca Letras, no qual crianças com deficiência visual ou auditiva podem jogar com crianças sem deficiência. O jogo está disponível para download gratuito, no portal Pernambuco.com na seção tecnologia (com link abaixo). O Pesca Letras é um jogo educativo bem simples e indicado para as crianças que estão sendo alfabetizadas ou que já conhecem o alfabeto. Por meio dele, as crianças se familiarizam com os números e as letras do alfabeto, além de conhecerem melhor o teclado do computador.

Com um layout e o som de uma praia, uma voz pede para a criança pescar determinada letra, aparecendo a imagem do caractere do alfabeto na tela. A criança cega deve encontrar a letra indicada, procurando-a no teclado. Já aquela que tem deficiência auditiva ou que não tem deficiência, em vez de buscar a letra no teclado, deve procurá-la num teclado virtual (em que as teclas estão apagadas).

Então, com o mouse, clicar onde possivelmente está a letrinha.
"Já joguei esse jogo umas cinco vezes. Achei bem legal porque foi feito pra crianças que enxergam e que não enxergam. É sempre bom jogar com alguém, porque sozinha não tem graça", diz Mariana que, junto com o seu pai - que é cego -, testou o jogo e deu dicas a Bruno do que poderia ser modificado.

O jogo Pesca Letras foi o resultado prático do trabalho de conclusão de curso de Bruno Cosmo, que pesquisou sobre tecnologias assistivas. O estudo obteve o primeiro lugar na Mostra de Trabalhos Acadêmicos realizada durante a 2ª Semana de Informática da Unicap. "Aprendemos muitas teorias na faculdade e por que não utilizar os princípios e conceitos na prática? O objetivo do jogo é promover a integração entre crianças com deficiência e as sem deficiência e conscientizar os profissionais de informática no sentido de desenvolver projetos comerciais acessíveis para esse público, que não recebe a devida atenção do mercado", justifica.

Baixe o jogo no site: http://www.pernambuco.com/tecnologia/arquivos/PescaLetras.zip

Fonte: Diário de Pernambuco
http://www.diariodepernambuco.com.br/2008/12/15/info4_0.asp


Fonte: Secretaria dos direitos da pessoa com deficiência
Governo do Estado de São Paulo
http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/sis/lenoticia.php?id=177&c=31

Fale Conosco

Mande suas dúvidas e sugestões para nós!

Enviar