Cérebro da meia idade: o melhor cérebro de sua vida!

 

Há algum tempo, pesquisadores vêm desvendando as potencialidades do chamado cérebro da meia idade. Para nossa surpresa, as investigações apontam para o que de fato pode ser considerado a idade para a melhor performance do cérebro: a faixa etária entre 40 a 70 anos. Imaginem! Nós que achávamos que a decadência do cérebro vinha com a idade, agora temos a chance de verificar os equívocos de nossos estudos!

 

Uma editora de ciências da New York Times e jornalista com trabalhos importantes para o cérebro adolescente desbravou-se por uma jornada também rumo às nuances do cérebro da meia idade. Em seu livro O melhor Cérebro de sua vida, Bárbara Strauch conta como aos poucos foi percebendo em sua “meia idade” a  jóia que carregava dentro da “caixola”, bem como observando o comportamento de colegas e outras histórias. Bastou ler o início do livro para me sentir entusiasmada e vir correndo contar pra vocês que… “após os 40 tem-se muita vida ativa para ser vivida”. Devemos apenas nos manter cuidando de nossa saúde e observar que com o tempo cada vez menos conhecimento é necessário pois cada vez mais a sabedoria se assenta.
 

É isso mesmo! Em vários testes não só os relatado pela jornalista, mas outros tantos estudos apontam que “os mais velhos podem até demorar para concluir uma questão, enquanto os mais novos são mais velozes mas… os mais velhos acertam bem mais do que os mais novos!” O que acham disso?
 

Outra coisa muito interessante é observar as mudanças de comportamento que podem ocorrer na meia idade: uma pessoa que antes se lembrava de detalhes e mantinha-se muito organizada com tudo de repente passa a não se lembrar dos detalhes e a organização deixa de ser sua necessidade. Mas ao perguntar pra essa pessoa qual sugestão ela teria para um grande problema… esta resposta pode vir na ponta da sua língua. Ou ainda outro exemplo: pode ser que ela reencontre alguém que sabe quem é, onde se encontraram e até a roupa com a qual estava vestida mas… não se lembra de jeito nenhum de seu nome. É uma situação familiar pra você?
 

Pois é… o cérebro da meia idade não se preocupa com detalhes, nem com informações teóricas pois é um cérebro maduro. O melhor cérebro que você pode ter! Veja bem: um artista e poeta pode muitas vezes ter o melhor desempenho de sua carreira na meia idade pois sabe dizer coisas com profundidade, assegurado em sua experiência de vida, coisa que os mais novos de fato têm menos. Um cérebro da meia idade não precisa de estudar tanto ou, se precisa, o faz meio a tantas outras coisas enquanto que o adolescente tem “a vida toda por conta do estudo” e precisa talvez de um ano inteiro pra aprender uma matéria! O cérebro da meia idade precisa de um livro, ou um relato de caso, ou um filme para aprender pois já tem experiência acumulada. Ainda bem, pois o cérebro da meia idade cuida da casa, dos netos, do trabalho, da agenda de consultas, às vezes do marido no caso das mulheres… como vai ter tempo de “parar pra estudar?”
 

O que quero dizer com isso é: quem é dono de um cérebro da meia idade pode relaxar e tirar o “peso da cabeça” de tanta história que “cada vez mais velho, mais sem memória fica”. Isso pode não ser verdade se você se cuida e mantém autorrespeito considerando tudo que já aprendeu, refinando suas escolhas e aprimorando suas experiências com o que já está dentro de você, sem precisar de uma faculdade pois o caminho já é conhecido. Quero dizer também que se pode haver mais tempo interno para novas verificações do que já se tem na memória. A criatividade surge daí, da capacidade de reinventar a vida com a bagagem formada pelos anos até a fase adulta, onde se dá o máximo de colheitas de informações básicas sobre a existência. A partir daí as novas informações vêm apenas para lapidar o diamante, para trazer o brilho e revelar a preciosidade contida nele.
 

E pra finalizar já é hora de trazermos para nosso conhecimento prático quais de fato são as atividades que poderemos realizar de forma prazerosa e significativa aos 80, 90 anos. Pois com certeza um “cérebro da meia idade bem aproveitado” poderá chegar à idade avançada com mais saúde. Então convido a todos a compartilharem suas idéias para um futuro que não está tão escuro assim: com um cérebro saudável aos 80, 90 anos, o que poderemos fazer?
 

Deixo aqui a pergunta e o meu abraço!
 

Texto de Gal Rosa
 

Fonte: A Terceira Idade

Fale Conosco

Mande suas dúvidas e sugestões para nós!

Enviar